28 de agosto de 2008

Liberdade

Hoje eu queria voar, com este círculo de aves em mim

Como só tu… de asas abertas na imensidão pardacenta do céu

Hoje o meu céu não é azul, mas eu sou céu colorido.

Vieste ver-me com o teu poder de caça...

E deixaste-me o desejo de liberdade no teu voo silencioso.

4 comentários:

O Profeta disse...

Sigo o rumo do teu voo...


Doce beijo

Paradoxos disse...

te sinto neste voar - ameno - brando - a dois!

beijão amiga

MADRUGADA... disse...

Nunca farei o que fizeram tantos,
o meu mal nunca chegaria para as coisas do mundo. Voa se puderes, e encontra o sabor do vento trazendo pedaços de um amor eleito por ti.

Gostei do poema.

O Profeta disse...

Uma réstia de luz no crepúsculo
Uma súplica presa na brisa
Um caminho sem fim
Pela terra da tua lembrança


Convido-te a ver o diadema da Noiva do Mar

Boa semana


Mágico beijo